Iniciado em 2005, este grupo continua os estudos desenvolvidos pelo grupo Hermenêutica e Arquitetura (1999-2005), também liderado por nós e apoiado pelo CNPq. Dessa fase anterior destacamos os 8 números da revista Interpretar Arquitetura (http://www.arq.ufmg.br/ia) e os 2 Seminários Interpretar Arquitetura. Na III Edição deste Seminário (2005), as novas investigações consolidaram-se em torno da interface entre Arquitetura, Humanismo e República. Por "Humanismo" entende-se o que se origina dos "studia humanitatis" do renascimento florentino, responsáveis pela formação do "humano do homem". Por "república" entende-se a primazia dada ao bem e ao mundo público sobre os valores emanados do privado, do "todo" sobre as "partes". Ultrapassando o contexto “quattrocentesco”, estudaremos a produção arquitetônica e urbanística orientada para este mundo comum e este "humano do homem", a partir de três eixos principais: a) pesquisar a arquitetura de matriz renascentista e suas relações tanto com as demais artes, técnicas, ciências e cultura do período quanto com as da atualidade; b) estudar o papel da arquitetura brasileira na construção de nossa "res publica"; c) conectar a arquitetura, o urbanismo e os demais campos do conhecimento dentro de uma perspectiva em que diluem-se as fronteiras disciplinares e constitui-se uma "república de saberes", como sugerido pela Renascença e requerido pelo século XXI. Dentre essas conexões, destacamos as que a arquitetura, o urbanismo e as artes estabelecem com a filosofia, a história, as letras e os valores universais - como liberdade, justiça, igualdade e identidade. São esses valores que servirão para operar a teoria, a história e a crítica arquitetônica por nós pretendidas. Como instrumentos fundamentais da divulgação do trabalho do grupo, citamos a produção bibliográfica, a criação do site AHR(www.arq.ufmg.br/ahr), vídeos e, especialmente, a continuidade dos Seminário e da revista Interpretar Arquitetura (www.arq.ufmg.br/ia).

Todo este projeto tem se desenvolvido ao longo destes anos com o apoio dado pelo CNPQ ao seu Cooredenador, professor Carlos Antônio Leite Brandão, através da bolsa de Produtividade em pesquisa, e pela Escola de Arquitetura da UFMG. Foi imprescindível o apoio dado pela FAPEMIG, em 2007, para a realização de vídeos e a atualização da infra-estrutura capaz de realizá-los e dar continuidade à publicação da revista eletrônica Interpretar Arquitetura.

o projeto...