TRÊS SÉCULOS DE HISTÓRIA


No final do século XVII, as descobertas de ouro nas imediações de Sabará e Ouro Preto provocaram um grande deslocamento de pessoas para a região central de Minas Gerais. Colonos brasileiros e imigrantes de vários lugares começaram a povoar as terras que, em pouco tempo, transformaram-se em arraiais, freguesias e vilas.

Os povoamentos iniciais na sede e nos distritos de Itabirito (Acuruí, São Gonçalo do Bação e São Gonçalo do Monte) são contemporâneos às primeiras explorações do ouro da história de Minas Gerais. Destacam-se nesse período três referências da história do município: a primeira é o distrito de Acuruí (antigo Rio das Pedras), situado em um dos caminhos da Estrada Real que liga Sabará a Ouro Preto (antiga Vila Rica); a segunda é o Pico de Itabirito, marco geográfico para os deslocamentos das expedições pelo Alto Rio das Velhas; e a terceira é a edificação das capelas primitivas dos templos religiosos de Itabirito, tais como a Capela de São Gonçalo do Monte e a Matriz de Nossa Senhora da Boa Viagem.

No século XVIII, a sede e os distritos de Itabirito experimentaram o crescimento e a diversificação da rede econômica impulsionados pela mineração; após o início da crise da exploração do ouro, eles adaptaram-se às incertezas e mudanças ocorridas na economia regional. No século XIX, apoiadas em algumas atividades constituídas no século anterior, como a produção de panos e de peças de ferro, essas localidades investiram boa parte dos seus recursos no abastecimento de mercados próximos, como Ouro Preto, e de mercados distantes, como Rio de Janeiro e São Paulo. O empreendimento inglês na Mina de Cata Branca, situada nas proximidades do Pico de Itabirito, é outro capítulo importante da história municipal, e será objeto de outro texto. O desabamento da galeria central da mina em 1844 inviabilizou a continuidade desses trabalhos e ajudou a desaquecer a economia local.

No final da década de 1880, em meio ao cenário de expectativas criado pela utilização de novas tecnologias, como a eletricidade e as locomotivas a vapor, a sede de Itabirito experimentou novas transformações urbanas. A abertura de empresas nos ramos da siderurgia, tecidos e couro e o crescimento da população - após a inauguração da estação ferroviária em 1887 - modificaram a feição dessa localidade. Aos poucos, a paisagem urbana colonial cedeu espaço para a paisagem industrial. As transformações econômicas impulsionaram a emancipação municipal, que foi realizada em 7 de setembro de 1923.
'